AMANHÃ (5) ACONTECE O 1º DIA DO ENEM

  • Publicado em Sábado, 04 Novembro 2017 13:24
  • Escrito por Saloá Notícias
Tamanho do texto:

Enem-CommonsFalta apenas um dia para a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será aplicada neste domingo (5), e, até as 10h30, 19% dos inscritos ainda não haviam verificado o local onde farão a avaliação. A edição de 2017 do Enem tem 6.731.300 candidatos inscritos. As provas serão aplicadas no dias 5 e 12 de novembro. O endereço do local de prova está disponível no "Cartão de Confirmação da Inscrição" na página https://enem.inep.gov.br/participante/. Para acessar o cartão, basta fornecer o número do CPF e a senha cadastrada na inscrição.

O documento informa o número de inscrição; a data, hora e local das provas; a opção de língua estrangeira escolhida e os atendimentos específicos e/ou especializados, caso tenham sido solicitados. Surdos terão prova em vídeo. A edição de 2017 do Enem terá pela primeira vez uma prova traduzida para a linguagem de sinais em formato de vídeo. Até o ano passado, eles precisavam contar apenas com o apoio de intérpretes. Usando o formato de vídeo, o estudante terá duas horas a mais para fazer a prova. Já caso ele escolha o apoio do intérprete, ele terá uma hora a mais.

Redação e Direitos Humanos: A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, negou neste sábado (4) um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) e da Advocacia Geral da União (AGU) para permitir ao Ministério da Educação (MEC) dar nota zero a redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com teor ofensivo aos direitos humanos, informou a assessoria da Corte. Na prática, a decisão de Cármen Lúcia mantém decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) do último dia 25 que proíbe anular a redação contrária aos direitos humanos e permite somente o desconto de no máximo 200 pontos (de um total de 1.000).

A ação foi apresentada no ano passado pela Associação Escola sem Partido e diz que o critério de correção do Enem ofende o direito à livre manifestação do pensamento, a liberdade de consciência e de crença e os princípios do pluralismo de ideias, impessoalidade e neutralidade política, ideológica e religiosa do Estado. "Ninguém pode ser obrigado a dizer o que não pensa para poder entrar numa universidade", diz a ação, acrescentando que o próprio Inep, órgão do MEC que elabora a prova, desrespeita os direitos humanos ao cercear a liberdade do aluno de defender ponto de vista diferente daquele dos corretores de sua redação.

Medidas de Segurança: De acordo com o Inep, todos os locais de prova terão detectores de metal. No fim de setembro, o órgão só tinha garantidos 35% dos detectores de metal que foram empregados na edição anterior do exame. "Conseguimos como medida administrativa alugar os detectores de metal e eles estarão nos locais", afirmou a presidente do Inep, Maria Inês Fini. "Teremos essa fiscalização em 100% dos locais de participação." Neste ano, também, haverá um monitoramento especial de segurança para detectar o uso de pontos eletrônicos, impedindo possíveis tentativas de fraudes por parte de candidatos que tentam usar o equipamento para receber ajuda para responder às questões. De acordo com Maria Inês, esse monitoramento será feito por meio do "rastramento de ondas magnéticas para detectar os pontos eletrônicos", com o apoio da Polícia Federal, em diversos locais de prova que não serão anunciados. Fonte: G1.com