NÁUTICO VENCE MAIS UMA E RESPIRA MAIS TRANQUILO NA SÉRIE B

  • Publicado em Quinta, 07 Setembro 2017 00:17
  • Escrito por Saloá Notícias
Tamanho do texto:

21192506_629120610811001_893806555401204068_n (1)O Náutico deu mais um passo na luta inglória contra o rebaixamento na Série B nesta quarta-feira. Em jogo pegado e polêmico, o Timbu jogou menos que o Brasil-RS na Arena Pernambuco, pela 23ª rodada, mas foi efetivo e venceu por 1 a 0, gol do atacante Vinícius, que entrou no segundo tempo. No fim, o goleiro Jeferson ainda fez uma defesa milagrosa para segurar o resultado precioso ao time pernambucano. A vitória fez o Náutico sustentar a penúltima colocação na Série B. Foi aos 20 pontos e agora está a cinco do Goiás, o 16º.

No dia 16, vai ao interior paulista enfrentar o Oeste, às 16h30. Já o Brasil segue em 12º, mas pode cair algumas posições. No mesmo dia e horário que o Timbu, recebe o CRB, em Pelotas, na próxima rodada. O Náutico até fez um ensaio de que iria para cima do Brasil. Logo aos três minutos, Bruno Mota chutou forte e obrigou boa defesa de Marcelo Pitol. Mas, aos poucos, o Xavante passou a controlar. Aosa 17, Evaldo cabeceou com perigo. Aos 20, Marcinho não conseguiu tocar para o gol após cruzamento rasteiro de Juninho.

O Timbu só assustou de novo em cobrança de falta de Aislan que Pitol defendeu. E, aos 32, os gaúchos marcaram em rebote do goleiro Jeferson, que Lincom aproveitou. Mas o assistente, de forma equivocada, viu impedimento do centroavante. O Brasil seguiu em cima e criou três boas chances em quatro minutos. Aos 12, mais uma polêmica da arbitragem. Cassiano disparou em contra-ataque e ficaria cara a cara com Jeferson. Mas foi derrubado por Aislan no meio do caminho.

O árbitro Antônio Dib de Sousa mostrou apenas o cartão amarelo. Para Ávila. Depois, refez o erro e acertou o jogador punido. As duas equipes voltaram a chegar perto do gol, mas pecaram nas finalizações. Até que Iago irrompeu no meio da defesa xavante e chutou no canto. Pitol espalmou, e Vinícius completou para dar a vitória ao Timbu, aos 41. Já nos acréscimos, Misael teve a chance do empate em cabeçada à queima-roupa, mas Jeferson apareceu com o pé para salvar o Náutico.

Em um jogo pegado e até ríspido no primeiro tempo, o Brasil reclamou muito da arbitragem. A maior das referências ocorreu aos 32 minutos, quandou Itaqui mandou a bomba de fora da área, Jeferson deu rebote, e Lincom completou para o gol. O assistente ergueu a bandeira, apontando impedimento. Mas o centroavante estava em posição legal. Aos 12 minutos da etapa final, os jogadores do Brasil enloqueceram com o árbitro. Cassiano disparou em velocidade rumo ao gol de Jeferson. Aislan deu um toque por baixo do atacante e derrubou-o, interrompendo ataque promissor.

O juiz marcou a falta, mas mostrou o cartão amarelo para o lateral Ávila. Além de ter errado o infrator, os xavantes queriam a expulsão de Aislan. Antônio Dib de Sousa apenas reviu o atleta a receber o amarelo, e trocou de Ávila para Aislan. Como superioridade não ganha jogo, o Náutico, que nada tinha a ver com as polêmicas de arbitragem, aproveitou o cansaço adversário na reta final e construiu a vitória mínima. Iago e Vinícius saíram do banco para decidir. O primeiro avançou com muita velocidade sobre a defesa do Brasil e chutou no canto, aos 41 do segundo tempo.

Marcelo Pitol espalmou, e Vinícius estava ligado para empurrar à rede e correr para o abraço. E tinha mais emoção na Arena Pernambuco. Aos 45 do segundo tempo, o Brasil tentou pela última vez o gol. Calyson recebeu lançamento na área, dominou no peito, mas furou. Só que a bola chegou na cabeça de Misael, de frente para o gol. O goleiro Jeferson se atirou e, com o pé, fez uma defesa milagrosa! Fonte:  http://globoesporte.globo.com/pe/futebol/brasileirao-serie-b/jogo/06-09-2017/nautico-brasil-de-pelotas/